IFC oferece qualificação profissional para estudantes da EJA das redes municipais e estadual

quinta-feira, 24 de junho de 2021

O Instituto Federal Catarinense vai oferecer qualificação profissional para estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de escolas das redes municipais e estadual de Santa Catarina. São 350 vagas em 11 cursos totalmente gratuitos, ministrados por meio de parceria com a Secretaria Estadual de Educação e também com as secretarias dos municípios participantes.

A iniciativa inclui também a oferta de 100 vagas para um Curso de Formação Continuada para Professores de EJA aos servidores da rede parceira — além de 20 vagas para servidores do IFC que trabalham com esta modalidade de ensino. Este curso será ofertado à distância, pela internet. 

Os interessados em participar devem entrar em contato com a direção de suas escolas ou com a secretarias/gerências de Educação de sua localidade. Os cursos oferecidos e instituições participantes são os seguintes: 

 

Cursos de qualificação ofertados Instituições responsáveis pela oferta, com telefone
 – Operador de Computador  – Campus Araquari: (47) 3803-7200

 – CEJA Joinville (Rede Estadual): (47) 3431-1493

 – AMORABI : (47)3465-2075

 – Instituto Movimento: (47)3305-1564

 – Agente de Gestão em Resíduos Sólidos

 – Operação Básica em Governança

 – Operador de Computador

 – Campus Camboriú: (47) 2104-0800

 – Escola Básica Municipal Anita Bernardes Ganancini: (47) 3363-1758

 – Escola Básica Municipal Artur Sichmann:(47) 3365-5164

 – Programador de Sistemas

 – Cuidador de Idosos

 – Campus Luzerna: (49) 3523-4300

 – Centro de Educação de Jovens e Adultos – CEJA Joaçaba (Rede Estadual): (49) 3527-9586

 – Boas Práticas no Trabalho

 – Meliponicultura

 – Segurança do Trabalho e Gestão de Risco

 – Campus Rio do Sul: (47) 3525-8600

 – Centro de Educação de Jovens e Adultos – CEJA Rio do Sul ( Rede Estadual): (47) 3526-3140

– Agricultura Familiar  – Campus Santa Rosa do Sul: (48) 3534-8000

 – Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) de Araranguá (Rede Estadual): (48) 3524-6594

 – CEJA Praia grande: 

      Unidade Quilombola  São  Roque: (48) 99172-7951

      Unidade Centro: (48) 98801-9092

 – Escola de Educação Básica Prefeito Quintiliano João Pacheco: (48) 3539-0200

 – Auxiliar Administrativo  – Campus Avançado Sombrio: (48) 3533-4001

 – Escola Básica Municipal João Matias: (48) 3524-0490

 

O início das aulas está previsto para setembro; no entanto, esta data pode ser alterada em virtude da pandemia de Covid-19.

Fortalecimento da EJA e da Educação Profissional no Estado

O objetivo do projeto é ampliar a oferta de cursos e o número de vagas da Educação de Jovens e Adultos integrada à Educação Profissional, contando para isso com a mobilização em âmbito estadual das escolas parceiras — conforme explica o coordenador-geral de Cursos Técnicos da Pró-Reitoria de Ensino do IFC (Proen), Juliano dos Santos. “O Estado tem uma dívida histórica com o público da Educação de Jovens e Adultos — e ações articuladas entre diferentes instituições de ensino são um dos caminhos para a efetivação de políticas que visem a elevação da escolaridade integrada à Educação profissional”, diz. 

De acordo com Santos, a iniciativa começou a ser delineada ainda em 2020. “O Instituto foi selecionado pela Secretarias da Educação Básica e da Educação Tecnológica do Ministério da Educação (MEC) para participar de ações voltadas a EJA, mediante fomento financeiro.  Após encontro com o MEC para apresentação da proposta, foi realizada uma reunião com os campi do IFC para verificar a pertinência e possibilidade de adesão; todos foram favoráveis à participação do IFC na pactuação — sendo que seis unidades, após avaliação da comunidade, avaliaram ter condições de participação na oferta”. 

“Como a ação tem como público-alvo prioritário a rede Estadual de Educação, foram firmados convênios e parcerias com as gerências de Educação de Araranguá, Joaçaba, Joinville e Rio do Sul e as secretarias municipais de Educação de Araranguá, Camboriú e São João do Sul, para que os estes órgãos pudessem oficializar e viabilizar a oferta de forma conjunta”, prossegue Santos. “Após isso, foram intensificados os diálogos para elaboração e organização dos cursos, bem como a mobilização da comunidade para a divulgação da oferta.

O coordenador-geral de Cursos Técnicos da Proen destaca ainda que os 11 cursos oferecidos por meio da iniciativa foram definidos por cada campus a partir do diálogo com os arranjos produtivos locais; em algumas localidades, as escolas parceiras também participaram do processo. “Em todos os casos, a relação de proximidade com a escola parceira possibilitou a elaboração de propostas pedagógicas que dialogam com a formação geral, dentre outros temas presentes na educação de jovens e adultos”, afirma. 

Texto: Cecom/Reitoria/Thomás Müller
Arte: Cecom/Retoria/Andréa Santana