Dados do IFC poderão ser consultados em plataforma nacional sobre o ensino técnico e tecnológico

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, da qual faz parte o Instituto Federal Catarinense (IFC), conta agora com uma plataforma que reúne dados completos das 640 unidades de ensino que a constituem. Trata-se da Plataforma Nilo Peçanha (PNP), que deverá subsidiar a avaliação dos processos educacionais, com vistas à promoção da qualidade educacional e à eficiência da gestão de políticas e programas no âmbito do ensino profissional e tecnológico. O desenvolvimento do projeto tem sido realizado de forma colaborativa pelos integrantes da própria Rede.

Para tornar possível a composição da PNP, foi criada a Rede de Coleta, Validação e Disseminação das Estatísticas (Revalide), da qual fazem parte os responsáveis pelo registro acadêmico local das unidades de ensino, os diretores, os pesquisadores institucionais da instituição, os dirigentes máximos de cada uma delas e a Diretoria de Desenvolvimento da Rede Federal da Setec.

A pedido da Setec/MEC e juntamente à UnB e à UFLA, o IFC atuou no desenvolvimento de plataforma estatística para coleta e validação de dados da Rede Federal. Renato Resende Ribeiro de Oliveira, docente do curso Técnico em Informática para Internet do Campus Concórdia, atuou como líder e coordenador técnico da etapa de desenvolvimento do software que se tornaria a PNP. Além disso, realiza análises de informações no banco de dados extraído da plataforma e atende pela infraestrutura onde a plataforma está sendo executada.

O professor explica que a Rede Federal não possuía, até então, uma fonte de informação significativa acerca de seus indicadores, pois o principal sistema de registro e controle existente antes do desenvolvimento da plataforma, o Sistec, não realizava validação dos dados, e, por conseguinte, não havia impedimentos para que os usuários inserissem quaisquer informações desatualizadas ou incoerentes, por exemplo.

“A Plataforma Nilo Peçanha vem para sanar esse ponto fraco, reunindo, normalizando, analisando e aplicando uma série de críticas acerca da consistência e validade dos dados encontrados hoje no referido sistema. O objetivo da PNP é conseguir um retrato da educação profissional e tecnológica do Brasil por meio de uma fonte confiável de dados e indicadores, que possa desmistificar as informações falsas que muitas vezes são veiculadas”, explica Renato.

Outros servidores do IFC também atuaram significativamente nesse processo. Os pesquisadores institucionais Jair Adriano Strapazzon, da Reitoria, e Márion Lemke Poletto, do Campus Concórdia, participaram de um projeto-piloto da plataforma, para auxiliar no seu desenvolvimento, com sugestões de melhorias, antes do lançamento oficial.

Segundo Jair, pesquisador institucional atuante na Pró-Reitoria de Ensino do IFC, a PNP é um avanço, pois otimiza o cadastramento de dados que era anteriormente realizado em planilhas. “Desta forma, cada unidade da instituição é responsável por verificar, modificar ou justificar os dados que foram extraídos do Sistec, Siape, e Siafi, os quais serão disponibilizados em forma de indicadores, como eficiência, eficácia, número de concluintes, ingressantes, relação de candidatos por vagas, etc. Todos esses indicadores são de suma importância para avaliar a qualidade do ensino e da aprendizagem, em cada um dos campus, e para planejar as ações de melhoria, se for o caso”, relata o servidor.

A plataforma será atualizada pela Revalide, a partir da qualificação dos dados coletados, inicialmente, do Sistema Nacional de Informações (Sistec), Sistema Integrado de Administração de Recursos humanos (Siape) e do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi). A homologação das informações ocorrerá mediante a aplicação de um conjunto de regras de consistência que apontará eventuais incoerências nos dados coletados, permitindo que os integrantes da Revalide os retifiquem ou confirmem por meio de apresentação de justificativa. O rigor do levantamento impede que informações inconsistentes, não justificadas pelas instituições, sejam utilizadas para fins estatísticos.

Do ponto de vista interno, os dados homologados pelo processo farão parte do relatório de gestão de cada instituição e possibilitarão o delineamento de ações institucionais e a elaboração de diretrizes estratégicas, visto que tornarão mais visíveis e palpáveis as demandas de ensino formal no contexto em que está inserido o IFC, os índices de evasão e retenção e as especificidades dos ingressantes aos cursos.

De acordo com Gustavo Henrique Moraes, coordenador do projeto da plataforma na Setec, a partir dos resultados estatísticos, será possível dar resposta a importantes questões educacionais, tais como: “Quantos alunos esta Rede tem? Em que cursos estão matriculados? Como é a distribuição por sexo, cor, turno e renda? Quais são as taxas de evasão e conclusão? Qual o gasto anual por aluno matriculado? Como é a composição de seu corpo de professores e técnicos administrativos?”, entre outros aspectos relevantes acerca da Rede. A coleta de dados, sua validação e divulgação seguirão um calendário anual. A plataforma deve estar disponível ainda no primeiro trimestre deste ano.

Para a reitora do IFC, Sônia Regina de Souza Fernandes, “a criação da Plataforma Nilo Peçanha se constitui como uma ferramenta de extrema importância para que a Rede tenha, por meio da estatística educacional, dados e indicadores reais acerca da Educação Profissional, Científica e Tecnológica”.

Os censos da Educação Básica e da Educação Superior mormente não retratam todas as especificidades da Rede, uma vez que ambos deixam de fora do levantamento que realizam em torno de 40% das matrículas reais, como aquelas realizadas em cursos de qualificação profissional e aquelas referentes à entrada de alunos no segundo semestre. “Ao trazer dados/indicadores mais próximos da realidade, a plataforma torna transparentes as informações, bem como a prestação de contas junto aos órgãos de controle”, explica Sônia, que agradece o empenho de todos os servidores envolvidos no projeto, fato que revela o compromisso da gestão dos campi e da Reitoria com a instituição de que são parte.

Saiba mais sobre a Plataforma Nilo Peçanha em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=58991.

Texto: Cecom/Reitoria, com informações de Assessoria de Comunicação Social do MEC e Proen/IFC.