Menu principal
 

Além dos pixels: projeto de extensão ensina programação e robótica para estudantes da rede pública

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Dos 22 estudantes do ensino fundamental público de Fraiburgo que realizaram o curso de extensão Programando o Futuro: escola de programação de computadores para crianças e adolescentes em outubro de 2016 ofertado pelo Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Fraiburgo, 15 iniciaram os estudos este ano no curso Técnico em Informática. Por quê? Descobriram que um computador é muito mais do que navegar nas mídias sociais, é um universo.

CONFIRA O ÁUDIO DA REPORTAGEM ABAIXO

Nathali Kauana Moraes é uma dessas alunas. Aos 15 anos conta que, desde criança, sonhava em saber o que existia dentro das máquinas que a permitiam socializar com pessoas e saber sobre o mundo. “A minha mãe nunca deixou eu desmontar o meu computador mas, aqui no IFC, por conta do curso pude ver quais os componentes que formam a máquina e como podemos interagir com ela”, frisa a futura astrofísica.

Os encontros semanais para falar de programação e robótica já envolveu 65 estudantes da rede municipal de ensino do 6º ao 9º ano. É utilizando de ferramentas educativas que o pensar computacional é despertado pelo professor Rafael Vivian, o bolsista Moacir Prates e o voluntário Eduardo Meireles. “O nosso principal objetivo é despertar nas crianças e nos adolescentes a curiosidade além do mexer no computador, mas também a possibilidade de criar seus próprios aplicativos e jogos”, revela Vivian.

As ferramentas de trabalho educativas, como Blockly, Scratch e Minecraft, despertam a curiosidade e a criatividade dos participantes que trabalham em conjunto na construção do conhecimento sobre programação e robótica. Outro ponto fundamental do projeto de Extensão é reduzir o preconceito existente perante o público feminino nessa área. “Setores nas áreas de informática, engenharias, sistemas da informação ainda são dominados por homens. Precisamos mostrar que as meninas também podem seguir carreira na tecnologia, para isso é necessário despertar o interesse em especial pela computação/programação”, comenta Rafael.

Para Nathali a sensação de descobrir como tudo é feito é maravilhosa. “É muito legal saber o que um pixel e as imagens que eles formam, a desenvolver programas, por isso todos podem tentar, meninos e meninas”.

03

Continuidade do projeto

Prestes a completar um ano, o projeto de Extensão Programando o Futuro: escola de programação de computadores para crianças e adolescentes será submetido, este ano, para renovação por meio de Edital da Pró-reitoria de Extensão (Proex). Além de proporcionar que, anualmente, três turmas do ensino básico público participem do curso, a ação extensionista permite que estudantes regulares do IFC – Campus Fraiburgo atuem como bolsistas.

Moacir está no 3º ano do curso Técnico em Informática e sempre gostou do assunto. Por meio do projeto foi além e conseguiu praticar algo que sempre teve vontade de aprender: ministrar aulas. “Com a supervisão do professor, estudo o tema de aula e as estruturo. Ainda, interajo com os alunos e me sinto à vontade para passar o conhecimento. Desenvolvi a minha oratória e hoje tenho mais liberdade para me expressar”, diz o estudante.

A estrutura didática e a maneira de passar o conhecimento para os estudantes são estratégicas. Bolsista e professor refletem sobre um ensino passado de maneira lúdica e atrativa. “Isso para que os conceitos básicos da programação sejam interessantes e possíveis de aplicação para eles, estimulando o pensamento crítico e o raciocínio lógico”, afirma Rafael.

* Texto, áudio e vídeo: Cecom/Reitoria, por Nicole Trevisol | Jornalista MTE 02499 JP-SC.

**Imagens: Divulgação/Campus Fraiburgo.